10 de novembro de 2010

Roberto Marchesoni

Gráfica digital: vale a pena montar uma?

A  demanda de novas gráficas digitais vem crescendo muito e, com isso, aumentando a concorrência e baixando os preços de venda.

O segmento digital conta hoje com 364 gráficas no estado de São Paulo  e 33,6 mil empregados, em 2006 eram 246 gráficas digitais, um aumento significativo e isso vem aumentando dia a dia.

A meu ver, acredito que não terá serviços a todos por se tratar de pequenas quantidades e ainda com preço alto por unidade.

A pouco mais de uma década a copiadora Docutec dominava o mercada, com o dólar nas alturas, muitas gráficas digitais desapareceram. Este risco ocorre com o aumento do dólar, pois fica impossível pagar o aluguel desses equipamentos.

Foram investidos de 2006 a 2009 R$466 milhões e é pretendido um aumento de 33% nos investimentos. E em pessoal de administração e de produção não existe um estudo, sendo que isso não é bom porque podemos ter um atendimento pior, sendo que hoje já não é bom.

Dentre os que não pretendem investir em digital as causas são:

  • Relação custo x benefício desfavorável;
  • Demanda muito baixa por impressos digitais; e
  • 10% das gráficas digitais não atendem a demanda; porque a quantidade de papel para esse tipo de equipamento ainda é pequeno.

As barreiras à expansão da impressão digital no Brasil:

  • Alto custo equipamento;
  • Alto custo de manutenção e operação;                                                               
  • O equipamento se torna obsoleto muito rápido, muitas vezes antes mesmo de terminar de ser pago;
  • Necessidade de investimentos constantes; e
  • 19,4% das gráficas convencionais (off-set) pretendem investir em gráfica digital.

Se você pretende investir em uma gráfica digital será preciso estudar muito:

  • Analisar o nº de concorrentes;
  • O local onde montar;
  • Investir no auto atendimento e não esperar o cliente vir ate você;
  • Além de uma boa análise dos custos envolvidos e projeção de lucros.

Saiba que o retorno é a longo prazo, portanto se precisa de dinheiro imediato, esqueça, pois não é um bom negócio.

65 "parpite"

1. Silvia Zampar publicado em 09 de novembro de 2010 às 14:48

Nossa, por essa análise realmente não parece algo tão compensador.
Então as máquinas são alugada? Não compensa comprar?
Parece a história de montar uma empresa de recorte de vinil, com máquina ploter, que todo mundo uma época resolveu investir, ai viu que dá um trabalhão, manutenção grande e, o que é pior, o atendimento acabou com todo mundo, que não conseguia cumprir prazos, entregar serviços bom (tbm, pelo preço ridículo que ofereciam o serviço = suicídio empresarial).

2. Shannon publicado em 10 de novembro de 2010 às 8:56

Bom….lendo isso confirma o que eu imaginava de gráficas digitais, só quem já está na chuva deve se proteger ou continuar se molhando, abrir negócio não compensa mesmo, é muito trabalho para o lucro demoraaaaaaaaaaaaaaaaaaado.

3. ROberto Carlos publicado em 10 de novembro de 2010 às 10:40

Sílvia
Eu vejo como loja de R$1,99: todo mundo monta e depois 90% quebra.
Existem equipamentos que são alugados e outros que você compra, porém o que não te falam é o custo de manutenção e a desvalorização do material em um prazo muito curto.
Já tive essa experiência com a Xerox e quase “entrei”.
E ainda tem mais alguns equipamentos, os mais sofisticados e mais caros, não tem pessoal qualificado para trabalhar, ai você tem um excelente equipamento e não tem profissional.

4. Silvia Zampar publicado em 10 de novembro de 2010 às 12:53

Tbm percebi o mesmo. To fora – rs

5. Isis publicado em 10 de novembro de 2010 às 14:28

Mas é "alto" custo, etc, com "L". Não é?

6. ROberto Carlos publicado em 10 de novembro de 2010 às 16:15

Ola Shannon
É realmente o que acho do mercado… Esta ficando complicado, um exemplo real o metro de banner de lona se vendia a R$70,00 hj se vende a R$30,00, com isso só o cliente ganha

7. ROberto Carlos publicado em 10 de novembro de 2010 às 16:17

Só essa semana recebi duas solicitações de pessoas me perguntado o que eu acho deles montarem uma gráfica digital.

8. ROberto Carlos publicado em 10 de novembro de 2010 às 16:21

A Silvia falou de suicídio empresarial, e eu pergunto: que empresario? Na verdade são pessoas querendo deixar de ser empregado e que querem montar QUALQUER coisa.
Isso é o que mais acontece no Brasil e muitos usaram a economia de uma vida e perderam tudo e ainda estão endividados.
O brasileiro é muito trabalhador, mas não conhece de administração, esse, a meu ve, é o mair problema da pequena empresa.

9. Silvia Zampar publicado em 10 de novembro de 2010 às 17:40

Sim, tenho visto (e respondido) aqui no blog, vários comentários pedindo opinião a respeito disso "devo montar, quanto custa".
As pessoas tentam pelos caminhos errados (nós não somos especialistas nisso), depois não sabem porque deu errado um empreendimento.
Como eu disse pra elas, se você quer montar procure:
- O SEBRAE: que dá orientação para novos empreendimentos;
- Procure empresas que trabalham com esses equipamentos, pra já começar a fazer um orçamento; e
- Se possível procure quem já tem esse negócio e converse francamente, pra ver o que lhe falam.

10. Silvia Zampar publicado em 10 de novembro de 2010 às 17:44

Então, não é errado sonhar, querer mudar de vida, mas de fato tem-se que ter algumas coisas pra dar certo:
1. A pessoa gostar de fato de trabalhar, pois o "dono" trabalha mais, não tem horário certo pra começar o dia e muito menos pra terminar;
2. Tem-se que ter em mente que "patrão" não tem 13º salário, nem férias com bonus;
3. Tem que ter dinheiro pra esse investimento, analisando friamente "se eu perder tudo, eu não vou jogar minha vida fora?";
4. Deve-se antes analisar o mercado, visitar os concorrentes: a melhor maneira de avaliar tudo; e
5. Não custa passar no Sebrae, pra ver se eles podem lhe orientar um pouco.

11. Silvia Zampar publicado em 10 de novembro de 2010 às 17:46

Tem toda razão, a falha é minha que não peguei isso na revisão. Obrigada!

12. Silvia Zampar publicado em 10 de novembro de 2010 às 17:53

A verdade é que NEM o cliente ganha, pois o "aparente" ganho no preço baixo, acaba sendo um prejuízo a longo prazo para a empresa, pois temos fornecedores ruins, com atendimento péssimo e serviço duvidoso (pra ruim), porque não dá pra ser bom ganhando quase nada.
Tem-se que saber precificar, essa é a verdade do mercado.

13. ROberto Carlos publicado em 11 de novembro de 2010 às 16:44

Ou contratar o ROberto, para analisar se é viavel montar sua empresa.

14. Rodrigo publicado em 11 de novembro de 2010 às 19:28

Eu já enxergo tudo isso que dizem como uma grande oportunidade,
quano ao preço você deve agregar o valor devido, por mais que haja muitos concorrentes e que cobrem relativamente barato, vocês mesmos afirmam que o atendimento da grande maioria é pessimo e o material de qualidade duvidosa.
É a oportunidade perfeita para inovar, criar um novo conceito de gráfica, em atendimento e qualidade, os pontos mais fortes, os clientes não ligam de pagar o preço que é dado a um material de alta qualidade e com padrão diferenciado de atendimento.
Na minha opinião, é melhor investir agora pois há grandes oportunidades para fazer bem feito e se destacar. Muitos buscam preço, outros qualidade, a questão é que falta profissionalismo e qualidade, e isso é perfeito para abrir um negócio desses.

Abraços.

15. Rodrigo publicado em 11 de novembro de 2010 às 20:32

Outra coisa referente ao dinheiro, não é necessário dinheiro para começar.
Dinheiro se faz com criatividade e inteligência. Não é preciso juntar montes de dinheiro para depois comprar máquinas caras e afins.
É necessário inteligência financeira claro para saber como reinvestir, e conhecer o mercado sem dúvida, concorrência e tudo mais.
É preciso garra, e correr os riscos, porém calculados, e se perder você aprenderá e crescerá, não será o fim. Será apenas um recomeço!

16. Silvia Zampar publicado em 12 de novembro de 2010 às 10:33

Você pode estar em uma das categorias abaixo:
- Ser alguém de mais visão empresarial (parece ser esse seu caso);
- Alguém ingênuo (parece que vc tem isso um pouco, qdo afirma que "os clientes não ligam de pagar o preço para um material tal" = nunca vi cliente "não ligar", isso em 15 anos de carreira, mas o Roberto, com 30 anos, poderá falar do lado dele, de uma gráfica).
Sim, quem trabalha direito pode se diferenciar. Isso não quer dizer que seja tão simples, pois depende de uma cadeia que envolve fornecedores, funcionários, mercado viciado. Mas pode-se tentar, com certeza. Ciente apenas que envolve muito trabalho, visão de negócios (como vc demonstra nos itens que aponta) e que o retorno não é imediato.

17. Silvia Zampar publicado em 12 de novembro de 2010 às 10:40

Agora você demonstrou ingenuidade, pois:
- Dizer que dinheiro se faz com criatividade é tolice, já que o brasileiro, em geral, não tem nem 2 ou 5 mil pra dar de entrada numa casa, imagine dispender isso para um novo negócio;
- Inteligência também não é um "dom divino", mas o que você chama de "inteligência financeira", com "conhecer o mercado" é o que alguns chamam de empreendedorismo, administrador eficiente, talentos que poucos têm (já tive muitos, mas muitos funcionários que não conseguiam entender o básico, que eu insistentemente lhes explicava);
Enfim, tudo que vc cita são características reais que quem começa um novo empreendimento, seja ele qual for, tem que ter. Mas a realidade é que as pessoas geralmente têm: boa vontade, "necessidade" de abrir um negócio, um dinheirinho "contado" (às vezes a economia de uma vida), necessidade de retorno rápido, enfim, tudo que não combina com a frieza que se tem que ter ao se pensar em empreender. E, vamos ser sinceros, a grande maioria da população sequer tem noções das responsabilidades (administrativas e financeiras) envolvidas num negócio, se assustando logo no início e, na maioria da vezes, quebrando.
Não fosse assim não teríamos a estatística de que a maioria das empresas fecha em menos de 2 anos de vida.

18. ROberto Carlos publicado em 12 de novembro de 2010 às 16:26

Olá Rodrigo
Você tem toda razão no que diz.
Mas o que mais falta neste pais é profissionalismo e competência como empreendedor.
É de pessoas com a sua VISÃO que o mercado precisa, mas para isto precisa também conhecimento, dinheiro para ser investido e muito profissionalismo.
Parabéns

ROberto

19. ROberto Carlos publicado em 12 de novembro de 2010 às 16:30

Não concordo com você que sem dinheiro se monta alguma coisa que possa oferecer a qualidade necessária em tudo. O nosso mercado financeiro não nos dá apoio e crédiro necessário.
Algumas empresas ate dão um suporte.
Mas não se pode começar uma empresa tendo que ter lucro e faturamento suficiente para os custos dentro dos 6 primeiros meses, é preciso ter um capital de giro ou tudo pode ir por água abaixo, dentro dos 6 primeiros meses.

20. ROberto Carlos publicado em 12 de novembro de 2010 às 16:33

Concordo com a Sílvia nas suas palavras.
80% das pequenas empresas quebram dentro de no máximo 3 anos e mais: só 3% ultrapassam os 20 anos.
E isto não significa falta de vontade de trabalhar, mas sim falta de competência administrativa.
Empreendedorismo é uma coisa que o brasileiro não tem, com raras excessões isso acontece.

ROberto

21. ROberto Carlos publicado em 12 de novembro de 2010 às 16:38

Realmente o cliente quer sim um preço baixo.
Cabe a uma empresa bem administrada saber até onde pode chegar no preço.
No meu caso 70% dos negócios fechados têm negociação de preço.
Claro que hoje muitos dos meus clientes dão preferencia pela minha qualidade, atendimento, pontualidade e pela honestidade que temos há 22 anos no mercado.
Hoje em dia começar um negócio sem um excelente plano de negócio é correr muitos riscos.
Só deste post,ja recebi 5 solicitações de pessoas para falar como deveriam fazer para montar uma gráfica digital.

ROberto

22. claudionor ladeira publicado em 07 de maio de 2011 às 20:35

sou tipográfo, já pensei em gráfica digital depois dessa tô fora. grato

23. Irineu publicado em 29 de maio de 2011 às 20:10

vocês não conhecem nada de grafica digital é um ótimo investimento……..

24. Silvia Zampar publicado em 29 de maio de 2011 às 22:03

Sua resposta foi vaga, não informa nada concretamente (o que seria aceito e agradeceríamos) e só trata de ofender nosso colaborador, coisa que não permitimos nesse blog.
Fique a vontade em comentar novamente, caso queira esclarecer e não tratar mal ninguém.

25. Fabio publicado em 18 de julho de 2011 às 0:35

Me desculpe se eu não entendi direito, mas gráfica digital citado por vocês é quem produz banners e adesivos ou empresas que fazem panfletos, cartazes e folders em pequena quantidades? Pois falando da segunda opção, trabalho no ramo de publicidade, e é claro a necessidade dos clientes de hoje diminuir a quantidade de impressos, afim de personalizar para cada cliente, a época de "forrar" a cidade com um impresso gráfico está passando… e me parece que a grande válvula de escape desse mercado é justamente a grafica digital, pois apesar do preço por unidade ser bem maior, você só faz o necessário e para aquela campanha.. o investimento é um pouco alto tbm.. e tem os problemas citados neste post, como equipamentos obsoletos em pouco tempo… mas acredito que seja sim um bom investimento… porem precisa de qualidade e agilidade.

26. Silvia Zampar publicado em 18 de julho de 2011 às 10:19

O termo "Gráfica Digital" é conhecido em todo o mercado por gráficas que trabalham com impressoras digitais, tipo copiadoras, e não com máquinas offset. É o tipo de máquina que determina se ela é uma gráfica digital e não "exatamente" a quantidade (apesar que grandes quantidades é muito mais compensador fazer em Gráficas Offset, já que cai o custo do impresso. Quanto ao que dizemos que não é um bom investimento, trata-se numa análise mais ampla, não apenas avaliando necessidades de mercado, mas retorno que o investimento nas máquinas digitais x demanda dá para o investidor.

27. augusta matiussi publicado em 30 de agosto de 2011 às 9:30

bom dia , o meu esposo trabalha em uma grafica ja faz 20 anos , e ele e o amigo dele estão querendo motnar uma grafica mas não tem o dinheiro para comprar uma ramada , e ai eles estão querendo fazer um financiamento para comprar , ou estão querendo dar a minha casa cxomo pagamento mas eu tenho muito medo de perder tudo porque eu não sei como vai ser , o que o senhor sugere para nos

28. Silvia Zampar publicado em 31 de agosto de 2011 às 10:18

Quem lhe responde, só pra ser mais rápido, é a Silvia. Eu, particularmente, como empresária há tantos anos, lhe diria que dar sua casa como garantia do pagamento pode ser um grande erro. Isso porque todo negócio implica em um risco (menor ou maior) e você tem que sempre pensar na possibilidade de não dar certo. Aliás, pesquisas demonstram que 80% das novas empresas fecham antes dos 5 anos, o que demonstra que o risco de não dar certo é muito grande. Claro que temos que considerar a experiência dos sócios no negócio, mas eles dependerão principalmente da demanda de clientes e mercado, o que é sempre incerto. Acho o financiamento algo menos arriscado e que eu faria.

29. alexandre publicado em 29 de setembro de 2011 às 22:59

primeiro passo infálivel, orar a Deus, para que ele mostre cursos, pessoas entendidas e esclarecidas do assunto.

segundo – prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém, ou seja, nada de ansiedade, é melhor ser ansioso com seu dinheiro no bolso, do que ficar frustrado e duro.

terceiro: visualização e paz no coração, se não sente paz, é um grande sinal que devemos buscar outras metas.

quarto: amar e ter uma certa aptidão para o ramo desejado, pq se não, vai ter que terceirizar muita coisa, e detalhe, sem conhecimento, vai ficar na mão do seu contrato.

último: confiar em Deus em voce

Deus usa o que temos nãos mãos

Móises abriu o mar com uma vara, pense nisso e suscesso.

muito cuidado com empréstimos

30. JUNIOR publicado em 26 de março de 2012 às 9:44

COMO CAUCULAR O CUSTO DE PRODUTOS GRAFICOS PARA GRAFICA DIGITAL?

31. Silvia Zampar publicado em 26 de março de 2012 às 10:20

Então… Isso não é tão simples assim, pra alguém te explicar na internet.
Claro que um PREÇO deve englobar todos os CUSTOS envolvidos MAIS O LUCRO que se deseja obter = assim parece simples.
Mas você tem que estar dentro de um valor de mercado, para não perder muitos pedidos.
Faça um curso específico para desenvolver planilhas de preços, ou procure fornecedores de softwares prontos para gráficas (que já existem vários).

32. JUNIOR publicado em 26 de março de 2012 às 11:26

VOCÊS TEM ALGUM MATERIAL QUE POSSA ME AUXILIAR NESSE TIPO DE CALCULO? OBRIGADO

33. Silvia Zampar publicado em 26 de março de 2012 às 11:41

Eu não tenho.
O Roberto, autor dessa postagem, tem uma gráfica off-set convencional e utiliza um software desenvolvido para a empresa dele.

34. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 11:50

O Irineu desculpe, mas me fale o que tem de bom na digital

35. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 11:53

Alexandre com Deus e conhecimento profundo tudo da certo.
Mas é preciso muita analise e custos bem feito para entrar em um mercado que abre uma gráfica digital a cada dia.

36. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 11:54

Junior
Calcular custos para gráfica digital ou plana, nada muda.
Custos fixos x capacidade de produção e preço final

37. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 11:57

Junior posso te auxiliar mas é preciso de informações concretas como :
Custos: espaço fisico, agua,luz,telef. empregados, materia prima e que equipamentos pretende usar para elaborar o custo.
Veja o blog http://robertomarchesoni.blogspot.com.br/ la tem uma máteria sobre como abrir uma empresa.

38. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 12:00

Bom dia Augusta
Colocar seu patrimonio acho loucura
Para montar uma gráfica precisa de muitas analises como: qual cidade, quais concorrentes, que mercado atuar e outros
E ainda se for 1 ou 2 cores eu não faria isso.
veja no blog <a href="http:// :http://robertomarchesoni.blogspot.com.br/,” target=”_blank”> <a href="http://:http://robertomarchesoni.blogspot.com.br/” target=”_blank”>:http://robertomarchesoni.blogspot.com.br/ como montar uma gráfica

39. Roberto publicado em 07 de maio de 2012 às 12:03

Fabio
Gráfica digital e todo equipamento que imprimi digital, ai depende de qual seguimento quer seguir:
Banners e adesivos requer um investimento maior do que para imprimir baixas quantidades de folhetos ou cartazes.
Quantos clientes é preciso para manter uma gráfica digital com pequenas tiragens e qual o lucro preciso ter para me manter.

40. Edivaldo publicado em 17 de maio de 2012 às 14:32

Prezado, Graça e Paz!

Quero montar uma pequena gráfica, uma gráfica rápida, para atender igreja e manter uma lojinha… Nosso recurso é pqno e gostaia que me orientasse.

Edi

41. Adão publicado em 16 de junho de 2012 às 19:03

Velho! vou falar um negócio sério para vocês, monta outra coisa mais fácil, tanto gráfica rápida como convencional , é zica, se não tiver dinheiro para comprar pelo menos 1 4 cores , sai fora , já vai nascer morto, o negócio é louco, mão de obra cara, muitas variantes, muito custo para gerar um serviço, o lucro é pouco e o custo é alto, até o atendimento precisa ser especializado,
compricadíssimo, não caia na asneira de geito nenhum, vender casa para comprar hamada,
mais nem no sonho, não se faz nada com uma hamada, se quer muito se meter com gráfica , faz o seguinte, monta um escritório de venda e vira vendedor , terceiriza o que vender, essa é a única coisa que se pode fazer para entrar para o ramo grafico como empresário, de ou com muito dinheiro, de outro geito é suicídio, pelo amor de Deus a senhora que disse que o marido quer vender a casa para montar gráfica com um amigo, tenho certeza vai perder o amigo , vai ficar sem casa para morar, e com muita desilusão no caração

42. Silvia Zampar publicado em 17 de junho de 2012 às 14:33

Adão, agradeço compartilhar conosco sua opinião.
De fato concordo com você que não deve vender a casa para começar um negócio, ainda mais se já não tiver experiência e certeza de que dará certo.

43. jose wellington pereira pedroza publicado em 19 de junho de 2012 às 9:37

Caro colegas graficos, já possui grafica/tipografica nos anos 80, não tive muita sorte pois era maquinários

arredados e aluguel muito alto, não tive condiçoes de comprar meus equipamentos

44. Silvia Zampar publicado em 19 de junho de 2012 às 12:32

Sim, é uma área que exige investimentos grandes, senão fica-se com material defasado, que não gera grande rentabilidade e dá muito gasto.
Tem-se que colocar tudo no papel, pra não se perder todo o investimento.

45. Djan publicado em 17 de agosto de 2012 às 10:05

Excelente análise. Tenho uma gráfica rápida desde 2004. Venho me sustentando até bem por assim dizer. Mas a questão “equipamentos se tornarem obsoletos muito rápido” é o que mais me preocupa no ramo, tenho máquinas novas, por assim dizer, prontinhas aqui para serem desmontadas, reaproveitando algumas peças para depois serem jogadas fora, devido a descontinuidade da produção dos mesmos, pois quando o equipamento sai da linha de produção, não raro acontece também com as peças. Acho isso uma grande irresponsabilidade por parte das marcas.

46. Silvia Zampar publicado em 17 de agosto de 2012 às 11:10

Djan, isso vem acontecendo com todos os equipamentos digitas, dos de uso particular (como celulares, notebooks), domésticos (televisores, impressoras).
Vivemos num mundo do "descartável", o que além de gerar lixo desnecessário (e muitas vezes poluente), é jogar dinheiro fora.
Revoltante mesmo!

47. JOSE MARCELINO publicado em 21 de agosto de 2012 às 19:16

estava fazendo uma media pra monta uma grafica digital gostei da epson stylus pro gs6000 ela custa R$70.000 fora marquina Solda Banner 1,5 Metros custa R$3.000 mas materias mas uns R$3.000 mas R$10.000 de dinheiro reserva pra se manter por um periodo. sendo no total R$86.000

48. Marcelo publicado em 21 de agosto de 2012 às 21:22

Quem fez a coluna e o dono de uma grafica. Não quer concorrência……..

49. Silvia Zampar publicado em 21 de agosto de 2012 às 22:33

Quem escreveu o "post" é dono de uma gráfica off-set (e não digital) – então digital não é, exatamente, um concorrente direto, e eles chegam a trabalhar em turnos de tanto serviço que têm. Acho que quem leu que não gostou do que leu – infelizmente, pois já tem tão pouca gente a fim de dar conselhos sérios pela internet pra quem está começando qualquer coisa…

50. Leana - RS publicado em 01 de setembro de 2012 às 8:47

Rodrigo…concordo plenamente em âmbito e grau. Foi o que aconteceu comigo.Passei 20 anos vendendo off-sett para gráficas da Região, que fazem sempre a "mesmice", até porqque precisa deste mercado, concordo. Mas o que EU queria? isto que você está falando…Inovação, materiais exclusivos, de altíssimo nível de impressão, que off-set nehuma vi tirar até hoje. Resultado, abrimos a Gráfica Digital ha 3 meses e meio, atentendo quase que exclusivamente (e sem conseguir dar conta), clientes exigentes, que querem valorizar sua marca…O custo é alto, concordo, mas dificilmente alguem que quer invenstir em sua marca fala de preço. Já tivemos que comprar mais uma impressora no segundo mês. E pra quem vendeu off set a vida inteira, meus olhos brilham toda vez que vejo um material pronto.!!!!!Depende então de cada um procurar o seu cliente e focar nisso. abraços

51. Silvia Zampar publicado em 01 de setembro de 2012 às 10:03

Com certeza o mercado (público) para digital é o que não falta, sendo um mercado em franco crescimento. Quem trabalha bem, com qualidade no serviço e atendimento, com boa gestão do negócio, com certeza tem/terá sucesso.
Agora você dizer que não viu inovação, materiais exclusivos e de altíssimo nível em gráficas que oferecem impressão offset, pergunto: em que mercado você está ou vive? Pois eu vejo MUIIIIIIIIIIIITA coisa boa e de qualidade na impressão offset, que não pode ser feito em gráfica digital. Acho que vivemos em mundos diferentes. Você já viu a revista Pancrom News, onde eles procuram mostrar o que dá pra fazer de inovação e que eles (e toda gráfica boa offset) oferece?

52. sergio publicado em 20 de novembro de 2012 às 11:30

Nossa !!! Nunca tinha visto alguém responder algo na net com tamanha sabedoria…desejo que Deus continue iluminado seus caminhos.

53. Fabiano publicado em 27 de janeiro de 2013 às 14:49

Roberto, talvez não seja viável montar uma gráfica digital como qualquer outro tipo de negócio se você não tem planejamento e noção de onde você vai se meter, montei uma gráfica rápida com investimento de de 150 mil, financiei alguns equipamentos para materiais de maior demanda e terceirizo alguns com um parque gráfico, já nos primeiros meses estava tirando mais de 90 mil de lucro bruto sem fazer alarde por ai, só com 10 empresas que eu forneço material tiro mais de 80 mil.. o segredo e conhecer bem os clientes de grande potencial, descobrir de quem tão pegando (concorrência) e se vc tiver, preço, qualidade, prazo e atendimento, lógico que pegando os insumos com bom preço com certeza vai ganha muito dinheiro..
Gráfica é o segundo ramo que mais fatura no Brasil perdendo somente para os bancos, o mercado e muito grande e a concorrência também, mas tem muitas variantes ae que se não forem bem planejados e estudados com certeza vai falir em pouco tempo.

54. J.CANDIDO MEDEIROS publicado em 15 de fevereiro de 2013 às 10:15

Roberto, Bom Dia!
Sou um profissional da área de REPROGRAFIA, hoje com 68 Anos, com muita vitalidade,
gostaria de poder estar com algum dono de GRÁFICA RÁPIDA, em PARCERIA, que tenha
desejo de crescer neste seguimento.
Conto com seu apoiuo numa indicação, me colocando desde já para qualquer esclareci-
mento à disposição;
Obrigado,
Candido

55. Silvia Zampar publicado em 15 de fevereiro de 2013 às 17:36

O Roberto não é da área de Gráfica Rápida, mas sim de Off-set. Creio que o melhor caminho seja você procurar por esse parceiro em feiras do setor, onde poderá conhecer muita gente.

56. Marcelo Mariano publicado em 24 de abril de 2013 às 12:06

J.Santos, eu abri uma grafica digital ha pouco mais de 4 meses, na zona leste de SP, tenho uma 4110 e uma 252 Xerox, guilhotina, laminadora, plastificadora, encardenadora espiral e wireo, se quiser entre em contato comigo 2893-6850.

57. tony publicado em 15 de maio de 2013 às 21:10

Vai a dica olhe para pequenas coisas que dar mais lucros, o mau quem monta o negocio desses está na formação de preço uma fachada que custa 2 mil o cidadão (cliente) quer pagar em cheque o chorar até a ultima lágrima pelo um desconto resultado o lucro é pouco. E enquanto isso sobra mais clientes para fazer pequenas coisas exemplo adesivos pra bicicletas, motos, carroças etc… que custa de 5 a 10 reais média nas medidas de 30cmx 0,4cm custa em média 830 metro quadrado se vc fizer 30 adesivos por dia ta no saldo é logico que vc tem que ter outro ganhos como xerox cartão de visita convites serviços de internet e outra coizitas a ++++++

58. gerson publicado em 05 de junho de 2013 às 2:35

Amigão estou querendo montar uma gráfica digital, estão me oferecendo uma kyocera 3050ci por 17mil mais alguns acessórios para dobra e grampeamento livretos no valor de 11.200,00 totalizando só nesta máquina 28.200,00, estou localizado numa avenida principal na ilha do governador, pago um aluguel de R$ 3.800,00, meu ramo era de empréstimos sendo que está caindo a cada ano, vou trabalhar com estampa de camisas, canecas e canetas, o meu maior custo vai ser estas máquinas, oque você acha?

59. gerson publicado em 05 de junho de 2013 às 2:37

vc fala do RJ?

Estou montando uma gráfica rápida iniciando com uma copiadora Kyocera 3050ci, acessório de dobra em três, furador e grampeador, já é um bom início?

60. Silvia Zampar publicado em 05 de junho de 2013 às 9:38

O Roberto, autor desse post, é de São Paulo e não trabalha com gráfica rápida.

61. Silvia Zampar publicado em 05 de junho de 2013 às 9:39

Não temos experiência com gráfica digital. O Roberto, autor desse post, é dono de gráfica offset

62. Araujo publicado em 14 de outubro de 2013 às 14:45

Gostei muito dos vossos comentários, muito obrigado pelas ideias.

63. ROberto Marchesoni publicado em 04 de novembro de 2013 às 19:50

Amigos o mercado digital cresce assustadoramente e com certeza muitos vão quebrar nos 2/3 primeiros anos infelizmente não tem serviço para todos, o preço da copia vem caindo.
Outras terão muito sucesso mas acredito que 1/4 delas, essas começam com uma logistica perfeita e isso faz toda diferença.

64. adão publicado em 28 de março de 2014 às 19:08

Estamos num tempo, em que todo mundo tem uma impressora jato de tinta ou multifuncional laser na empresa, como que alguém vai se meter a montar uma coisa que todo mundo tem, vender para quem? pense! O mercado virou um lixo , tudo tem aos montes, saturou!
Temos que vender coisas de uso pessoal, essencial, xerox, onde você entra, num cartório ou em qualquer lugar , até banquinha de jornal bate xerox, a 0,05, 010 centavos, loucura amigo!
cartão de vista , virou cocô, dá até nojo, o povo está desesperado, custo com aluguel, empregado, obrigações do governo, vender roupa, comida boa e barata, o resto, é lixo, até a Petrobras está arrebentada, está todo mundo batendo cabeça, parece um apocalipse! digo mas, é preferível comprar uma chácara de uns 5 mil metros numa terra boa e sumir para roça, nos Estados unidos , muita gente está largando a cidade e indo viver uma vida simples, e para sempre, simplesmente viver, sem carro, nada que dê gasto, capitalismo, nada, por que do jeito que vai, tudo vai falir! Estamos querendo ser rico com muito pouco, se for para ter muito pouco, melhor ir para a roça! Vocês de uma boa parte da sociedade, ainda vão pensar seriamente nessa ideia, viver uma vida indigna stressado(a) vai ser uma questão de se salvar, vida ou morte

65. Silvia Zampar publicado em 07 de abril de 2014 às 10:53

Me parece que você teve algum grande problema com algum negócio seu, então sob essa óptica compreendo seu desabafo. Mas é certo também que todo negócio bem planejado e com serviços que interessem de fato, podem se tornar sucesso. Rico… ninguém fica trabalhando assim, mas não significa ser infeliz.

Parpite você também