15 de julho de 2010

Ricardo Del Bianco

Linguagem Cinematográfica – Planos de Enquadramento 1

Os elementos que determinam a linguagem cinematográfica são cinco e têm funções específicas para definir como a imagem vai aparecer na tela. Eu optei por utilizar a nomenclatura em português, sempre que possível, para nomear os planos e ações decorrentes da utilização destes elementos. Em muitos livros existem as nomenclaturas em inglês ou francês, que também são válidos.

ENQUADRAMENTO

É a ação de enquadrar uma imagem, dando-lhe a dimensão exata de como ela será apresentada aos espectadores. Em suma é o plano que vai ser apresentado na tela do cinema ou da televisão. Para a escolha adequada deste plano ou forma de apresentar a imagem, existem tipos de enquadramentos que servem para evidenciar o que se quer transmitir.

PLANOS DE AÇÃO CÓSMICA OU ESPACIAL: são aqueles tomados de grande distância, sem nenhum compromisso sonoro ou visual com o contexto da historia, a não ser o de determinar geograficamente onde transcorre a ação. Eles são basicamente três:

GPG – Grande Plano Geral: podem ser cenas aéreas ou mesmo terrestres, aonde não se identificam vozes, sons ou personagens. Plano típico do cinema, que tem como principal função descrever o cenário.

Por ser um plano com ângulo de visão muito aberto é praticamente impossível perceber a ação ou identificar os personagens. Devido à grande quantidade de pormenores, o GPG necessita de um tempo maior de projeção para que o espectador perceba os detalhes da imagem. No cinema, normalmente, um grande plano geral tem uma duração variando entre 8 e 12 segundos.

PG – Plano Geral: embora mais próximo do que o plano anterior serve apenas para apresentar o local onde ocorre a ação, sem identificar falas ou personagens.

Plano geral possui um ângulo de visão menor que o GPG, onde percebe-se a figura humana, porém é difícil reconhecer os personagens e a ação. O PG é um plano descritivo e serve, principalmente, para mostrar a posição dos personagens em cena. No cinema o PG tem duração de 5 a 9 segundos.

PC – Plano de Conjunto: também com a função de localizar a ação, por ser mais próximo, pode ser acrescido de ruídos, falas e gritos. O plano conjunto apresenta o personagem, ou um grupo de pessoas no cenário e permite reconhecer os atores e a movimentação em cena.

A ação, no entanto, não é visualizada nos mínimos detalhes. Por exemplo: se uma atriz coloca alguma coisa no bolso do paletó de um ator, percebe-se o movimento dos braços e das mãos, sem, no entanto, identificar-se o objetivo. É por este motivo que o PC é um plano com caráter descritivo e narrativo, com uma tendência maior para a descrição, já que as ações não são totalmente percebidas. No cinema a duração de um PC varia, em média, de 4 a 8 segundos.

A duração de cada plano é apenas uma estimativa que passei, sendo que o tempo exato de cada plano fica a cargo do diretor ou montador e o critério e a narrativa que a direção de arte pretende dar ao filme.

Na próxima semana continuo falando de Planos de Enquadramento, abordando os planos mais próximos.

Seja o primeiro a parpitá

Parpite você também