07 de julho de 2010

Silvia Zampar

Jornais – Anúncios Diferenciados

Esta semana estou fazendo uma série falando de jornais, sendo que já falei a respeito dos principais papéis e formatos para jornal, depois falei ontem sobre a comercialização de espaços e formatos convencionas, sendo que hoje trato dos formatos diferenciados para anúncios.

Além dos espaços convencionais, podemos contratar espaços diferenciados, o que também chamamos de “sair do quadrado” (em alusão ao quadrado do anúncio convencional), que irão interagir com o conteúdo editorial (no meio de todo o texto), sendo que os anúncios em formatos diferenciados têm algumas vantagens:

  • Acaba chamando mais a atenção do leitor, exatamente pelo seu aspecto diferenciado;
  • Geralmente, por inserir-se no meio do conteúdo editorial, acaba sendo obrigatoriamente visto pelo leitor (páginas só com anúncios podem ser viradas rapidamente, sem serem lidas).

Na apresentação abaixo segue uma série de artes de jornal desenvolvidas para a loja IRA, que comercializa peças e acessórios para motos e motociclistas, sendo que em todas podemos ver que se buscou formatos especiais e diferenciados, visando aumentar a visibilidade:

Todos estes anúncios que você conferiu na apresentação são chamados de formatos especiais, sendo obrigatório existir uma negociação prévia com o jornal, enviando-se layout (pode mandar só a máscara ou mancha do que iria ocupar a arte), pois em alguns casos eles podem não aceitar estes formatos, que possam impossibilitar a diagramação por parte da editoria, ou mesmo que dê problemas na hora da impressão (como o caso de anúncios no meio de uma página dupla espelhada).

Vejam esse exemplo abaixo, que não se trata de um formato diferenciado (apesar de parecer). Observe que o anúncio interrompe o texto, com a máscara branca em volta, não permitindo uma leitura completa do conteúdo editorial, portanto trata-se de um anúncio de uma página, mas foi recriada uma página falsa de matéria. Caso o jornal concordasse, até poderia ser um anúncio especial, inserido no seu conteúdo, mas isso tem que ser bem negociado para o jornal aceitar, além de enviado com muita antecedência pra haver um perfeito encaixe entre anúncio e textos.

Vejam nesse abaixo, como o jornal fez a reserva de todo o espaço onde a arte invadiu, mas não aceitou invadir com texto mais próximo (isso já aconteceu comigo, que eles preferem dessa forma, pra não ficarem dependendo de chegar o anúncio pra montar a página).

Vejam que interessante o anúncio abaixo, que até parece um formato especial, entretanto é: um 3 x 52 cm/col à esquerda, junto com um 6 x 16 cm/col (aprox.) à direita, um anúncio que alguns chamam de anúncio outdoor (se fosse no topo alguns chamam de outside). Evidente que isso teve uma negociação especial, já que teve que ser impresso numa página espelhada (que não são folhas separadas), para se imprimir o carro assim no meio.

Aqui temos dois anúncios que ocupam espaços especiais para o McDonalds, sendo que o próprio texto, em cor diferente, ajuda a compor o anúncio (não sei dizer se o texto continha ou não notícia de fato.

E para terminar tenho esse anúncio do Vectra, que foi “fatiado” em colunas, pra chamar a atenção para a condição de pagamento parcelado que estavam oferecendo, sendo que isso tem que ser muito bem negociado, pois são colunas intercaladas com matéria, mas têm que estar dispostas lado a lado (seja página espelhada ou páginas que formarão pares).

Incluído depois: Os dois anúncios abaixo foram criados pela Viamídia Comunicação para a Indiana Veículos, sendo que ambos conseguem ser diferenciados, aproveitando o espaço “quadrado” de um jornal de forma inusitada, o primeiro utilizando um anúncio centralizado de página dupla  - que simula estar “esmagando” o jornal; e o segundo utiliza um sistema de “roldanas com coradas”, que faz uma moldura em quase todo o texto jornalístico, conseguindo “roubar a página” para si.

Confira amanhã a última parte dessa série de postagens sobre jornal, que traz outras formas de se fazer publicidade junto a jornais, mas não em forma de anúncios.

Campanha Ira via Blog Design Editorial

14 "parpite"

1. Vagner Pereira publicado em 07 de julho de 2010 às 16:32

Quando o anúncio invade o texto ele deve ser relacionado?
E há uma quantidade de anúncios por jornal?
E a agência também escolhe qual matéria vai estar o anúncio?
E por quê o antipenultimo anúncio não é considerado especial se ele invade o texto e chama a atenção, pelo menos eu ficaria interessado.

2. tudibao publicado em 07 de julho de 2010 às 20:56

Deixa tentar responder cada um de seus questionamentos:
- o anúncio não tem relação com o texto editorial. Se queremos "simular" um texto dentro de nosso anúncio, como se ele fizesse parte do conteúdo editorial (o anúncio da Claro, que publiquei ontem, tem isso, uma parte de texto entre a foto e o quadrado do anúncio), coloca-se um texto qualquer, pois não temos como saber o conteúdo editorial daquele dia;
- "teoricamente" há um limite de espaços de anúncios que o jornal possa comercializar, ou, pelo menos, eles tentam controlar dentro de um limite de páginas que dê um número certo para a impressão (lembrando que o jornal é impresso em múltiplos de 4, ou seja, cada uma folha que se aumenta, são 4 páginas, devendo haver não só anúncio, mas conteúdo – texto) pra abrir mais páginas;
- a agência pode escolher a página que deverá entrar seu anúncio, desde que esta esteja disponível e permita a inclusão de anúncios, mas não tem nenhum poder ou controle da matéria que sairá ao lado, decisão essa que pertence à equipe de arte do jornal, em conjunto com o editor. Geralmente quando escolhemos uma página sabemos qual a linha de conteúdo que irá ali (esportes, notícias, política, polícia, etc), só isso;
- o anúncio que você fala é o do Peugeot? Se for, na verdade ele é uma "ilusão", pois o texto espremido ai não é conteúdo do jornal, incluído pelo jornal, mas um conteúdo colocado ai por quem fez a arte do anúncio. Provavelmente é alguma notícia de dia anterior que a equipe de arte utilizou para compor o layout, ou seja, tem lógica, dá pra se ler, mas provavelmente até a pessoa identifique que é notícia passada.
Eu já vi acontecer, principalmente em caso de páginas falsas (ou até capas) de haver uma reprodução de todo o texto real do jornal daquele dia, mas isso exige uma grande negociação, flexibilidade do jornal para fornecer esse conteúdo ao Depto. de arte da agência que irá confeccionar o anúncio (página ou capa falsa) e, o que é o pior, um pouquinho de tempo, sendo que geralmente os jornais fecham tudo em cima da hora, às vezes até muito tarde da noite. Mas é possível.

3. Rich Marvin publicado em 13 de julho de 2010 às 21:11

Obrigado pelos créditos dos posts.

Valeu !!!!

4. tudibao publicado em 14 de julho de 2010 às 11:20

Magine, não fiz mais do que minha obrigação.
E qdo tiver novidades, me avisa, quem sabe a gente publica mais coisas ainda – rs

5. quasepublicitarios publicado em 22 de setembro de 2010 às 18:21

Silvia,

Seu blog é show de bola. Muito legal mesmo.
Aprendi várias e várias coisas aqui. Muito conteúdo de qualidade. Sensacional.

Parabéns

6. Silvia Zampar publicado em 22 de setembro de 2010 às 18:34

Obrigadinha, obrigadinha e mais uma vez, obrigadinha – hehehe

7. Miguel Ângelo publicado em 31 de maio de 2011 às 19:10

Cara professor, Silivia Zampar, um forte abraço!
Gostei muito das propostas (ideias) de publicidade inseridas nesta página. Como estou a criar, em Angola, uma pequena agência de publicidade e marketing, que será também responsável pela edição de um jornal de publicidade, gostaria da manter um contacto consigo para a troca de experiência. Agradeço um contacto através do meu e-mail. Atenciosamente, MA

8. Silvia Zampar publicado em 01 de junho de 2011 às 12:31

Então, mas se vc vai editar o jornal, geralmente o projeto gráfico é mais simples, para viabilizar mais anúncios e por preços mais acessíveis. Os anúncios diferenciados, como esses que mostrei, são projetos que as agências deveriam se preocupar em fazer para seu clientes, já que demanda tempo pensar em algo diferenciado. Mas estou a disposição, dentro do que puder, claro – rs

9. Rogério Neri publicado em 12 de outubro de 2012 às 21:59

Profª, Bom Dia
Sensacional seu conteúdo. Edito uma revista em papel jornal com conteúdo voltado a Saúde Preventiva, Bem Estar e Alimentação. Preciso de uma dica onde achar uma fonte legal para Manchetes e títulos. Se possível para texto tb, e se possível que seja free.

10. Silvia Zampar publicado em 12 de outubro de 2012 às 22:07

Agradeço seu gentil comentário. Quanto à dica que me pede… poxa, essa vou ficar devendo, pois realmente não sei dizer, por não ser minha especialidade. Sucesso!

11. Neymar Bandeira publicado em 03 de agosto de 2013 às 22:47

Ola! Estou começando um jornal no interior do Estado do Paraná. Será um jornal de classificados em geral, com dicas relacionadas a compra e venda, emprego e concurso. Gostei DEMAIS de suas dicas nesse novo formato dos anuncios inseridos ao texto editorial. Gostaria de alguma dicas suas para a formatação desse jornal que estou lançando. Será uma novidade aqui na região, pois será o primeiro jornal de classificados com exclusividade no seguimento. O que puder me orientar será de grande soma. Desde já agradeço. Neymar Bandeira.

12. Silvia Zampar publicado em 04 de agosto de 2013 às 22:41

As dicas estão ai – rs, mas é a sua criatividade o limite para qualquer ação que fizer.
Geralmente, em jornais de interior, de classificados, o mais prático é trabalhar com formatos padrão, senão você pode ter problema de não conseguir "encaixar" os anúncios que você precisa para o jornal ter lucro. Pense bem pra não complicar pra você mesmo e a equipe de vendas.

13. Consuelo Bernardes publicado em 07 de janeiro de 2014 às 16:35

Boa tarde Silvia!

Gostei muito do seu blog.
Estou com o projeto de um Jornal de Turismo, está praticamente tudo definido.
A minha dificuldade é montar os valores de cada anúncio… rsrs
Qual o seu e-mail?

14. Silvia Zampar publicado em 10 de janeiro de 2014 às 10:46

Vi que já me mandou um e-mail = que já respondi.
De toda a forma, pra ficar aqui registrado para outros leitores, o processo de precificação de um anúncio depende de um conjunto de fatores, além do próprio custo do mesmo (envolvendo impressão, distribuição, além do trabalho de jornalistas, contatos publicitários):
- depende da quant. de páginas e de anúncios que você poderá inserir e que conseguirá vender;
- do valor cobrado por outras publicações semelhantes em sua região; e
- do quanto o seu jornal é reconhecido como um bom veículo, ou se é mais um.

Parpite você também