12 de fevereiro de 2010

Mario Mancuso

O que é ser Ilustrador

Olá, Pessoal

Neste post de estreia aqui no TuDiBão resolvi começar do início e falar um pouco do que é ser ilustrador.

Sim, sei que é importante falar sobre o que é ilustração e dela em si, não me esqueci disso, mas acredito que falando primeiro sobre o profissional, algo pouco abordado com a devida seriedade, falarei um pouco de ilustração.

Antes de tudo, derrubemos mitos e paradigmas: Ilustrador é uma profissão, geralmente autônoma, que envolve todas as obrigações, direitos e deveres de qualquer profissão: pagamos imposto, cumprimos horários, fazemos contrato e… trabalhamos! Saber ilustrar não é dom, nem mágica cósmica, mas muito preparo e estudo, ao longo de muitos anos…

Muita gente confunde ser ilustrador com desenhar ou pintar. Várias pessoas que gostam de desenhar se dizem ilustradores, assim como pintores também (geralmente amadores). Não é bem assim. Não se trata aqui de ser preconceituoso ou querer criar uma reserva de mercado, mas de entender que ilustração é um produto e o ilustrador é um prestador de serviço. Nós amamos o que fazemos, mas não fazemos por diversão: investimos dinheiro, temos contas a pagar e tiramos nosso sustento disso.

Para ficar mais claro, voltemos às definições: segundo a wikipedia, ilustração “é uma imagem pictórica, geralmente figurativa (representando algo material), utilizada para acompanhar, explicar, acrescentar informação, sintetizar ou, até, simplesmente decorar um texto”. Complementado, a ilustração é uma forma de comunicação imagética aplicada não só em textos, mas também em embalagens e anúncios.

A grande diferença está em que a ilustração é feita, na grande maioria das vezes, por encomenda segundo um briefing (conjunto de informações pertinentes que forma um tipo de ordem de serviço) determinado. Um pintor pode pintar o que quer, assim como um desenhista amador. Um ilustrador não, ele segue os ditames para os quais foi pago.

Claro, podemos opinar, temos nosso estilo e acrescentamos ou modificamos elementos, mas na ilustração estamos, essencialmente, produzindo um trabalho por encomenda para um determinado uso e local, que servirá a um propósito pré-concebido. A ilustração já nasce com um destino traçado e específico.

Agora fica mais claro entender como o ilustrador é um prestador de serviço, pois ele é chamado para cumprir uma função, desenvolver dado elemento segundo as necessidades do cliente, trazer soluções. Ele é um fornecedor dentro de uma cadeia estratégica que envolve desde a produção de um livro ou revista, até um anuncio de publicidade ou embalagem de determinado produto. Saber lidar com isso é ponto vital do cotidiano profissional.

Outra questão importante é postura profissional. Como disse acima, o ilustrador é um profissional com direitos e deveres. Gambiarras e truques como atuar sem contrato, sem nota fiscal, cobrar preços baixos, copiar outras imagens (fotos e desenhos), usar “efeitinhos mágicos” de software, usar material alheio, não respeitar compromissos, etc. impedem em afastam cada vez mais a pessoa de ser um profissional e adquirir respeito como tal. Esse tipo de “profissional” fica fadado aos piores trabalhos, com os piores clientes, que adoram lidar com amadores, pois eles próprios também não são profissionais.

Se você pensa em ser um ilustrador, tem que entender, antes de qualquer coisa, que isto é uma profissão e tem de pensar como tal: saber negociar, atender bem, cumprir prazos, ser ético, prospectar, etc. e sempre estudar e se aprimorar.

Desenhar ou pintar bem ajudará bastante, com certeza, e são grandes indicadores que você pode ter vocação para ser ilustrador. Se então, tomou a decisão de ser um, se prepare, estude bastante, não só arte, mas também como ser um profissional.

Futuramente, retornarei a este assunto com mais dicas e causos.

Abraços e bom carnaval !!!!

22 "parpite"

1. João Pitanga publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 9:50

Mario, você bateu num ponto importantíssimo: “o ilustrador é um profissional com direitos e deveres. Gambiarras e truques como atuar sem contrato, sem nota fiscal, cobrar preços baixos, copiar outras imagens (fotos e desenhos)…”

Se vê muito disso no mercado, pessoas que trabalham mal, são mau caráter e estragam a imagem da profissão. Infelizmente temos que conviver com coisas do tipo, mas bola pra frente, quem trabalha certo uma hora tem suas recompensas.

Belo texto, sucesso.

2. Laylson publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 10:19

Bacana a abordagem, mostra que não é necessário só ter talento, tem que ter acima de tudo profissionalismo. Parabéns e que venham mais dicas. o/

3. Marcelo Volpato publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 10:49

Parabéns pelo texto, Mário!
Abraço.

4. Luiz Carlos Salgueiro publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 10:58

Meu blog é careta. Aqui acho q vai ficar mais bonito.

5. Silvia Zampar publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 11:53

Não entendi o comentário do Luiz – hahaha
Mas fica ai a dica pra quem quiser conhecer o blog dele, que ele chamou de “careta” – rs

6. Mario Mancuso publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 13:35

OLá, Pessoal
Pois é João, vc como parte da agencia deve sofrer com fornecedores ruins e nós com a reputação manchada. Acredito que construir uma profissão envolve aprender a ser profissional.
Respondendo ao Laylson, é exatamente isso. Eu mesmo tive a ilusão q saber desenhar/pintar era o suficiente e na verdade é uma parte pequena. Claro q é pré requisito, mas não se sustenta sozinha.
Abs ao colega e amigo Marcelo: tamo acabando !!! \o/
Abs tb ao Luis, companheiro do ilustragrupo.
Valew, pessoal

7. Gian Garcia publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 17:51

Mancuso já chegou chegando. Rs

Eu particularmente nunca me aprofundei no que é realmente ser um ilustrador, então já vi que esses posts semanais serão ótimos pra esclarecer muitas das minhas dúvidas.

Valew!

8. Gabriel publicado em 12 de fevereiro de 2010 às 22:35

Mario, muito bom o Post.
E concordo com praticamente tudo…(não, não sou nem perto de ilustrador, apenas um…wanna be xD )
mais considero o que você e muitos outros ilustradores (os que são bons) fazem como arte sim. Acho que a ilustração tem que ter o traço pessoal, que te identifique de longe, e com um bocado da personalidade do ilustrador….
E ser somente artista…não basta meeeesmo. Vejo esse exemplo por mim, sou desenhista…pintor e blábláblá, só que não me considero nem perto de chegar ao nivel de ilustrador (não que ilustradores sejam melhores que "artistas" é uma coisa diferente…)
Eu estou tentando seguir pro lado de ilustrador…Acredito (ou, espero né…) que a faculdade que vai começar em breve me ajude nesse objetivo (Design Gráfico! ) mais o que acho mais importante, pra quem já sabe desenhar pelo menos…é tentar colocar sua personalidade no desenho…por mais que seja um trabalho tradicional (aqueles de óleo ou grafite…) e tentar absorver o máximo do trabalho de outras pessoas…pra servirem como inspiração e descobrir o seu proprio traço e estilo dentro da ilustração.
E…já desenho a algum tempo, e ainda não tenho a menor ideia de como fazer isso. uhahuahua
Mario, uma duvida…é normal o pessoal utilizar fotos como…digamos referencia p/ modelos de carro, posições de pessoas/animais e coisas do tipo?

9. Mario Mancuso publicado em 13 de fevereiro de 2010 às 12:45

Gabriel,
seus comentarios são bastante pertinentes e oportunos. Vamos por partes, como diria Jack (o estripador, não o do Lost.. rs)
Primeiro, ilustração é uma profissão que se apropria da arte dentro de uma esfera comercial – nossa arte é o produto q vendemos, feito sob encomenda. É importante frisar isso.
Trabalhar um estilo específico está mas relacionado a um posicionamento de marketing em relação ao mercado, que a uma opção artistica. Há ilustradores, como o Grego ou o Benicio, q se caracterizam por um único estilo, que lhes confere uma "assinatura" em alguns jobs (trabalhos), mas o excluem de outros. Ou ilustradores, como o Montalvo Machado e o Tuco, q trabalham várias técnicas e estilos mantendo um leque grande de opções. Eu tenho muuuuuuuuuuita influência da HQ mas procuro me manter no meio termo.
fim da parte 1

10. Mario Mancuso publicado em 13 de fevereiro de 2010 às 12:46

Continuando…
Sobre sua dúvida, o ilustrador não tem memória de elefante, então freqüentemente, pra não dizer sempre, recorremos a referências para nos ajudar a representar coisas. Porém é preciso ter um bom senso pois a linha entre a referência e a cópia é muito tênue… Reproduzir quase q 100% uma imagem pode ser enquadrado como cópia ou plágio e sofrer sanções legais, de acordo com as leis de Direitos Autorais.
Anotarei sua dúvida pois ela rende um ótimo post, q prometo fazer em breve.
Abs e valew

11. TuDiBão publicado em 13 de fevereiro de 2010 às 12:51

Opa, legal, tbm curti a temática pra virar um post só sobre isso: a linha tênue entre referência e plágio ou cópia.

12. @betinhoafc publicado em 18 de fevereiro de 2010 às 7:12

Muito bom o post, só tenho uma dúvida. Não sou profissional, mas me interesso muito por ilustração, faço alguns trabalhos amadores no illustrator e no photoshop. A dúvida é a seguinte, se eu quiser ser illustrador, eu preciso saber desenhar bem no papel? porque tipo, quando vou fazer alguma arte, eu faço esboços, rascunhos no papel e depois passo para o pc, mas nao sou muito bom com desenhos perfeitos e tal. Queria saber se pra ser um bom ilustrador é preciso mandar bem no desenho a mão.

13. mario mancuso publicado em 18 de fevereiro de 2010 às 15:08

Olá, Beto
depende do tipo de ilustrador que vc quer ser. Pelo que entendi vc ilustra usando ferramentas digitais. São vetorizações, infograficos, o que? De quaqluer forma, o problema não é necessariamente saber desenhar a mão livre, mas entender os princípios do desenho enquanto ilustrador: composição, perspectiva, luz e sombra, etc. O computador não faz isso por vc. Assim, vc não precisa "mandar bem no desenho a mão", mas tem de conhecer bem desenho. No post de amanhã (19/02) abordarei mais este assunto.
abs

14. carmen lucia vargas publicado em 26 de maio de 2010 às 14:16

olá. ganhei um quadro oleo s/ tela – coqueiros e jangadasao vento- assinado p/ MANCUSO 1974, estou buscando dados biograficos do autor. como vc tem o mesmo sobrenome, talvez possa me ajudar c/ alguma pista. att. carmen lucia vargas

15. Gabi publicado em 03 de setembro de 2011 às 9:17

Mario, no item 4 vc fala que Blog não é portfólio, nem mesmo Fotolog nou Flicker, e fala que tem outras opções melhores de baixo custo…bom, quais seriam estas opções? obrigada…

16. Bea publicado em 21 de outubro de 2011 às 17:52

Amei o post! Peguei uma parte e pus créditos viu? É que em meu blog tem uma tag chamada 'profissões', e a da semana é essa!

17. Silvia Zampar publicado em 24 de outubro de 2011 às 16:00

Seria muito bom se me passasse o link direto do post para vermos. Obrigada.

18. vanessa publicado em 18 de fevereiro de 2012 às 22:59

adorei suas explicações,me ajudou muito em um trabalho p/ facu

19. maria eduarda costa publicado em 19 de abril de 2012 às 20:20

muito legal ,gostei muito ele é muito criativo ,eu gostei tanto que até comentei na escola e a minha professora amo e até comentou sobre ele na sala de aula

20. maria eduarda souza publicado em 20 de abril de 2012 às 14:35

hj minha professora pesquisou sobre ele e nos sabemos muitas coisas dele foi muito legal e eu curtir d+

21. aninha karol publicado em 24 de agosto de 2012 às 15:58

adoreiiiiii

22. julinho sertão publicado em 03 de junho de 2013 às 10:11

Parabéns pela abordagem e é isso mesmo! Ser profissional é também saber ser crítico consigo mesmo, é parte daevolução de cada um.
Abração
Julinho sertão

Parpite você também